segunda-feira, 26 de abril de 2010

Souvenir da época da Gripe Espanhola de 1918

Poucos se lembram hoje em dia dos quatro meses aterrorizantes que São Paulo viveu entre setembro e dezembro de 1918.
Nesse curto período a cidade se transformou em um local sombrio e assustador.

Cemitérios eram inaugurados e outros iluminados para que pudessem funcionar a noite - para dar conta da profusão de óbitos. Momentos de medo e de histeria fizeram a cidade se transformar num pandemônio com crimes torpes e suicídos em grande número.

Estima-se em mais de 5.000 paulistanos morreram e que mais de 1/3 da sua população foi infectada. Muita gente passou fome e ficou sem remédios adequados.
O governo paulista tombou de joelhos ante o fantasma da "Hespanhola" não conseguindo com os próprios recursos conter a epidemia, não fiscalizando os abusos cometidos por farmacêuticos inescrupulosos, além de censurar a imprensa na divulgação dos números da gripe.

Como é característico do Povo de Piratininga, os paulistas mesmo acuados se uniram: Inúmeras associações particulares, a igreja e o povo paulista se organizaram para conter a pandemia. Hospitais foram armados em vários locais, remédios distribuídos para os mais pobres e a imprensa divulgando medidas para conter a epidemia.

Em dezembro a cidade saiu para comemorar em dobro nas ruas: O fim da 1a Guerra Mundial e o fim da Gripe.

Abaixo uma interessante medalha da Exposição Industrial de São Paulo, datada de SETEMBRO DE 1918 - no início da gripe. Esta exposição foi prematuramente encerrada por conta do início da epidemia.
Ficou em bronze eternizado o momento terrível que a cidade viveu naquela época.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Abaixo como curiosidade uma outra medalha que certamente teve como inspiração a peça mostrada acima. Ambas foram cunhadas pela tradicional Metalúrgica PANELLI.

Photobucket

Photobucket

Para quem quiser saber mais sobre esse episódio da história de São Paulo, recomendo o livro de Claudio Bertolli Filho, A gripe espanhola em São Paulo, 1918.
Publicado em 2003, Paz e Terra (Santa Ifigênia, São Paulo, SP)

Um comentário:

  1. Nossa, muito legal mesmo essas medalhas.
    Obrigado por compartilhar!

    ResponderExcluir