quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A corrente separatista durante a Revolução de 1932

Um assunto bastante polêmico, e nem por isso deve deixar de ser discutido: A corrente separatista durante a revolução.
Para entender esta corrente separatista é preciso voltar ao calor dos fatos que vinham ocorrendo em São Paulo após a tomada de poder por Vargas em 1930. O que havia em todo estado de São Paulo era um enorme descontentamento com os mandos e desmandos da Interventoria Federal além de verdadeiras batalhas campais entre as forças paramilitares da Legião Revolucionária e os estudantes paulistas. O clima era tenso e não poucas vezes o sangue corria pelas ruas da cidade. Este fenômeno não era restrito a capital paulista, pelo interior os prefeitos nomeados pela Interventoria e a violência de rua ocorriam com frequência.

Em todo movimento de vulto sempre existe uma ala radical, e durante a mobilização popular pela constituição formou-se uma corrente separatista que pregava a independência de São Paulo como uma república soberana ou a formação de uma federação onde os estados adquiririam a soberania. Entre os principais defensores do separatismo destacavam-se o presidente do Tribunal de Justiça, Costa Manso, os escritores José Alcântara Machado, Monteiro Lobato e o historiador Alfredo Ellis Junior. A gigantesca campanha pela adesão das massas à causa revolucionária, por pautar-se no enaltecimento de valores regionais, trazia em seu bojo o surgimento de argumentos separatistas. Um exemplo desta situação veio de Mário de Andrade, que registrou que o lema "Tudo por São Paulo" – que se fazia presente em faixas, veículos e nos quepes dos soldados – era “a única unanimidade” naqueles agitados dias de 1932.

Vargas viu nessa minoria separatista uma ótima oportunidade de virar a opinião nacional contra a real causa paulista, a Constituição, e usou e abusou do argumento mentiroso que a luta de São Paulo era pela separação - o que acabou tornando-se verdade histórica até os dias de hoje para muita gente, reforçando a famosa frase "Numa guerra, a primeira baixa é a verdade".

Abaixo vemos algumas publicações e folhetos que circularam pela cidade, e que devem ser vistos apenas como peças de um enorme quebra-cabeça no qual nossa história vem sendo montada. O blog TUDO POR SÃO PAULO e seu autor não compactuam com as opiniões retratadas nas peças históricas a seguir, mas nem por isso vai deixar de divulgar os vários aspectos de nossa história.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Abaixo alguns exemplares do jornal "O Separatista" que começou a circular em janeiro de 1932 e que durou apenas algumas poucas edições.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

9 comentários:

  1. Parabéns! Em História, todos os aspectos de determinado fato devem ser colocados com clareza. Ou assim deveria ser. Grande amor por nossa Terra Paulista! Estou registrando um link para o seu blog na seção "Outros Olhos" do meu blog:

    http://olhotoxico.blogspot.com

    Novamente, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. O BRASIL ,COMO UMA REPUBLICA FEDERATIVA , TEVE SIM EM SEUS ESTADOS ,PRINCIPALMENTE EM SÃO PAULO , FONTE DA REPUBLICA QUE DETESTOU DOM PEDRO II E SEU GOVERNO PRODEMOCRATICO .É INEGÁVEL QUE FALAR QUE SÃO PAULO EM 1932 LUTOU PELA CONSTITUINTE TRAZ BOA IMÁGEM E DEMOCRÁTICO SENTIDO ,MAS , SABEMOS QUE NÃO É BEM ASSIM . COMO NO SENTIMENTO EXPOSTO POR SEPARATISTAS, HOJE AINDA SOBREVIVE O SENTIMENTO ODIOSO PELOS NORDESTINOS E UMA SUBMISSÃO AOS ESTRANGEIROS , SIM , COMO CARACTERÍSTICAS DE UM ESTADO QUE NUNCA ACEITOU O POSTO DE COMPONENTE DA FEDERAÇÃO. MEU VELHO PAI FEZ PARTE DESTA REVOLUÇÃO ,E, ME CONTAVA DA ESTUPIDEZ QUE VIU,E, ELE QUE ERA SEMI ANALFABETO ,E, NORDESTINO DE PERNAMBUCO , DEFENDEU SÃO PAULO,MAS , AO FINAL DESTA BESTIAL LUTA(COMO TODAS) ,SIM ELE ABRIU MÃO DE TODA E QUALQUER CONDECORAÇÃO E PREMIO , POIS SE LEMBRAVA DE SEUS AMIGOS MORTOS E DE SEU COLEGA QUE SE MATOU ,ANTES DE ENTRAR EM COMBATE ,POIS NÃO ACEITAVA MATAR OUTRO BRASILEIRO POR UMA CAUSA OLIGÁRQUICA. PRA VOCES VEREM QUE ESTA REVOLUÇÃO POSSUÍA UM OUTRO LADO POUCO FALADO E POUCO MOSTRADO . É ,ESTE LADO, NÃO VENDE LIVROS E NÃO ENALTECE CERTAS FIGURAS.MAS HONRA BRASILEIROS DE FATO ,NÃO APENAS DE UM DIREITO QUE É FEITO POR APENAS ALGUNS , E , REPUBLICA NÃO É O MESMO QUE DEMOCRACIA ,COM CERTEZA. BASTA LER A HISTÓRIA REPUBLICANA NÃO PELOS LIVROS OFICIAIS ,MAS , NOS OLHOS E VIDA DO POVO.
    ME DESCULPEM ,MAS ,TINHA DE DAR ESTE DEPOIMENTO, NÃO OBSTANTE O BELÍSSIMO TRABALHO DESTE BLOGSPOT, MAS A MEMÓRIA DE MEU PAI, JOSÉ MANOEL DA SILVA,E DOS QUE MORRERAM PELA OLIGARQUIA PAULISTA CLAMA MERECIMENTO E HONRA.
    JOSÉ MARQUES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eternas "vítimas", não?
      Basta alguém querer dirigir sua própria vida, que outros se fazem de "vítimas" de ódio.
      Até quando, paulistas?

      Excluir
  3. Prezado José Marques, a interpretação de eventos do passado não é ciência exata e depende do ponto de vista de cada um. Houve sim uma corrente separatista em 32 mas esta era muito pequena se comparada aos paulistas que acreditavam na constitucionalização do Brasil. Foi por esta causa que meus avôs combateram ao lado de milhares - todos merecedores das mais elevadas memórias e glórias. Atenciosamente, Ricardo.

    ResponderExcluir
  4. Tenho orgulho de fazer parte dessa PÁTRIA! Livrai São Paulo do PESO morto chamado BRASIL!

    ResponderExcluir
  5. A minha dúvida é que a Revolução de 32 ficou em nossa memória como um Movimento Separatista, mas isso foi usado por Getúlio contra o movimento ou realmente teve esse caráter separatismo, não me parece que foi o principal motivo.

    ResponderExcluir
  6. Separatista, autonomista ou brasileirista?
    Está fácil encontrar a verdade. Façamos um plebiscito sobre o atual anseio de secessão política parcial ou total do Estado paulista com relação ao Estado brasileiro. Ah, é anticonstitucional? Mas para o direito internacional é factível! Trata-se de um direito humano fundamental, ao qual a própria constituição brasileira se submete! Estamos falando sobre do direito da autodeterminação de um povo! Não é brincadeira de estádio.
    O problema é a cláusula pétrea? Que se faça uma nova constituição então! O mundo precisa evoluir e a democracia é o caminho mais sensato.
    Chega de mentiras e versões, X, Y ou Z, (sobre 1932)... que as mídias estatais ainda contam. A opinião dos paulistas é a mesma desde a guerra. Não se muda a personalidade de um povo assim, com espetáculos futebolísticos. O grito "TUDO POR SÃO PAULO" é praticamente unânime até hoje.
    Quem, com poder e decência, tem coragem de ser verdadeiramente democrata e ouvir o anseio do nosso povo Paulista? Com voto secreto e sem perseguições... Hã? Não né? Nem se cogita em colocar essa pauta para ser discutida na mídia, não é? Por quê?
    E com relação à guerra de 1932, quem sairia de casa para atirar contra batalhões de outras terras, para o bem deles (para o bem dos inimigos)? Loucos né? Só loucos fariam isso....
    Bom. Polêmicas e interpretações históricas a parte, como disse, está fácil resolver isso de uma vez por todas. É só o governo brasileiro ter vergonha da cara, ser democrático, menos imperialista e viabilizar ou permitir que se organize um plebiscito (como o nobre governo britânico) para ouvir a voz do COESO e VERDADEIRO POVO PAULISTA.
    Um legítimo Estado Nação.

    ResponderExcluir
  7. Na última página deste scanner, podemos ver um panfleto paulista antiseparatista:

    http://issuu.com/arteestado/docs/jpg2pdf/16?e=25607481/37115389

    ResponderExcluir