terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Palmares pelo avesso

Muitos leitores me escrevem pedindo dicas a respeito de quais livros ler sobre a Revolução de 32. No ano passado, falei brevemente sobre dois deles neste post. Porém, não tenho nenhuma sombra de dúvida que o livro mais impressionante sobre os combates de 32 é o "Palmares pelo avesso" de Paulo Duarte. Trata-se de uma narrativa dura, direta e sem floreios sobre como era a vida dos soldados que se expunham nas trincheiras da linha de frente. Neste livro o leitor não vai encontrar exaltações poéticas à causa paulista nem aos líderes do movimento. Muito pelo contrário: Toda a poesia afunda no lamaçal sanguinolento do fundo das trincheiras avançadas. O autor também não poupa críticas aos oficiais que comandavam suas tropas da retaguarda, mencionando mesmo vários deles de forma muito pouco ortodoxa.

A narrativa é cativante e coloca o leitor em um estado de tensão constante ao mesmo tempo que aborda inúmeras questões relativas ao ser humano e a guerra sem se tornar piegas em nenhum momento. As personalidades dos Comandantes como o CEL Euclydes Figueiredo e o CEL Palimercio de Rezende adquirem vida na narrativa. O leitor conhecerá outros personagens pitorescos como o CEL Maia, mentor de tenebrosas "ursadinhas" contra as tropas de Vargas. O epílogo do livro traz a aventura da fuga dos revolucionários que acompanharam o CEL Euclydes contada de maneira sublime.

Se o livro tivesse sido escrito em qualquer outro país onde se respeita a história, certamente teria sido um best seller e já teria virado um filme dos bons! Palmares pelo avesso é facilmente encontrado em sebos, mas recentemente a Imprensa Oficial relançou a obra em edição Fac-simile. Em uma palavra: Imperdível.
Photobucket

Nenhum comentário:

Postar um comentário