quinta-feira, 8 de março de 2012

Capacete de cortiça usado pelo Exército nas décadas de 30-40

Prosseguindo com o resgate de alguns posts que saíram do histórico do blog, apresento novamente o Capacete de cortiça usado pelo Exército na década de 30. É interessante notar que este modelo de cortiça tinha função apenas de complementar o uniforme, uma vez que era feito de material um pouco mais resistente que o papel. Este modelo foi usado pelos militares paulistas e também pelas tropas Federais durante a Revolução de 32. Seu uso prosseguiu até o início dos anos 40.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Abaixo a medalha em bronze com a efígie do General Waldomiro Castilho de Lima, que combateu os paulistas no Setor Sul durante a revolução e depois foi nomeado Interventor Federal no Estado. Notem o mesmo modelo de capacete.
Também é interessante mencionar que esta medalha é uma contraposição a Medalha de São Paulo, substituíndo a figura do soldado paulista pela imagem do General.

Photobucket

2 comentários:

  1. "Preparadores dum Brasil para todos" reforça a versão da ditadura: "São Paulo separatista", "São Paulo reacionário", "São Paulo das elites"...
    Interessante que os "todos" não tinham direito a eleger seus representantes ao Estado. (... E São Paulo CONSTITUCIONALISTA foi tido qual egoísta)

    Waldomiro Lima, Góes Monteiro, Dutra... Gente boa aqueles senhores!...



    Viva São Paulo!

    ResponderExcluir
  2. Carlos Vasconcelos12 de março de 2012 16:09

    De fato, caros Ricardo e Marcus!

    É sempre importante lembrar que, em 1932, São Paulo não lutou egoisticamente por alguma causa peculiar apenas a nós, Paulistas. São Paulo lutou pela reconstitucionalização do Brasil, pelo retorno do Estado de Direito a toda a Nação!

    Quanto ao General Waldomiro Lima, era parente por afinidade do próprio Getúlio Vargas, por parte de sua esposa, Sra. Darcy Vargas.

    Típica conduta caudilhista, aliás, nomear parentes para altos cargos do país, tratando a coisa pública como privada.

    As ditaduras Vargas (1930/34 e 1937/45) foram, infelizmente, a materialização do caudilhismo em nível federal.

    ResponderExcluir