quarta-feira, 14 de março de 2012

Insígnia de Voluntário da Pátria da Guerra do Paraguai

Segundo o célebre historiador Francisco Marques dos Santos, as insígnias de Voluntário da Pátria começaram a ser fabricadas na Casa da Moeda no Rio de Janeiro em 1o de Junho de 1865: "O gravador Carneiro os imprimia e os praticantes Ernesto, Fonseca, Justino, Coimbra, Sampaio, Neves, Miguel e Coelho se encarregavam de recortá-los", numa média de 240 distintivos por dia.

O artigo 11 do Decreto de 7 de Janeiro diz que "Os Voluntários trariam no braço esquerdo uma chapa de metal amarelo, com a Coroa Imperial tendo por baixo os dizeres Voluntário da Pátria, da qual poderia usar mesmo depois da baixa". Hoje estes distintivos são muito raros e alguns poucos são encontrados em acervos de museus e coleções particulares.

 photo DSC02922_zps394d1291.jpg

 photo DSC02917_zps3cd94857.jpg

 photo DSC02924_zpsab54e9a8.jpg

 photo DSC02915_zpse9b1f89d.jpg

Abaixo uma imagem do Major Timoleão Perez de Albuquerque Maranhão, Comandante do 45o de Voluntários da Pátria. Tombou em combate numa ação do 4o Batalhão de Infantaria sob seu comando.

Photobucket

Um comentário:

  1. João Marcos Carvalho22 de março de 2012 17:33

    Neste retrato, Timoleão aparece com um quépi de tenente-coronel da época: cinco galões circundantes.

    ResponderExcluir