domingo, 1 de julho de 2012

Antiga Guarda Civil de São Paulo

Inicio o mês de Julho com uma belíssima foto de um Guarda Civil de São Paulo dos anos 30. A Guarda Civil do Estado de São Paulo foi uma corporação uniformizada, criada para realizar o policiamento ostensivo das áreas urbanas do Estado. Foi instituída pela Lei nº 2.141, de 2 de outubro de 1926, no governo de Carlos de Campos, Governador do Estado de São Paulo de 1924 a 1927.

Os efetivos da Guarda Civil participaram ostensivamente da Revolução de 1932, e mais tarde durante a 2a Guerra Mundial formaram a primeira unidade de Polícia Militar do Exército Brasileiro, a atual Polícia do Exército. A corporação foi extinta pelo governo militar em 1970. Nessa ocasião a Guarda Civil foi incorporada a Força Pública dando origem a atual Polícia Militar. Os "Homens de Azul" são carinhosamente lembrados pela população de São Paulo da época como pessoas atenciosas e muito prestativas.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

17 comentários:

  1. João Marcos Carvalho1 de julho de 2012 22:33

    Apenas uma correção: a gloriosa Guarda Civil (estadual) de São Paulo não foi incorporada à Força Pública. Na verdade, ambas foram fundidas em 1970, dando origem a atual PM.
    É interessante lembrar que a Guarda Civil foi criada para suprir o problema do policiamento urbano da Capital e principais cidades do interior, antes exercido pela Guarda Cívica (1890-1924).
    Em Novembro de 1924, a Guarda Cívica (esta sim) foi incorporada à FP afim de reforçar o efetivo da milícia bandeirante que dava combate à 1ª Divisão Revolucionária (Coluna Prestes),tropa originária da Segunda Revolta Tenentista e que combateu, no interior do Brasil, os governos de Artur Bernardes e Washington Luiz entre 1924 e 1927.
    Com isso, a Capital e as grandes cidades do Estado à época ficaram sem o policiamento ostensivo especializado.
    Nesse vácuo, foi criada a Guarda Civil, que nos seus 44 anos de atividade prestou extraordinários serviços à população paulista, se destacando como corporação modelo para outros estados e países.
    À GC cabia o radiopatrulamento e o policiamento de estádios, teatros, cinemas, trânsito, e o a pé. Seus guardas trabalhavam também junto aos delgados de polícia, acompanhando-os à diligências e investigações, ao lado dos policiais civis.Existia, ainda, uma Divisão de Interpretes, que atuava em portos e aeroportos.
    Os guardas civis tinham careira única. Isto é, para atingir o posto máximo da corporação o guarda tinha que começar como estagiário após curso de um ano feito na Escola de Polícia (hoje Academia de Polícia Civil, na USP).
    A carreira era constituída dos seguintes postos e graduações:
    Inspetor-Chefe-Superintendente-Geral (equivalente a coronel)
    Inspetor-Chefe-Superintendente
    (tenente-coronel)
    Inspetor-Chefe de Agrupamento
    (Major)
    Inspetor-chefe de Divisão
    (capitão)
    Inspetor
    (1º tenente)
    Subinspetor
    (2º tenente)
    ...não havia graduação equivalente a subtenente
    Classe Distinta (1º Sargento)
    Classe Especial (2º Sargento)
    Primeira Classe (3º Sargento)
    Segunda Classe (Cabo)
    Terceira Classe (Soldado)
    Eis aí uma corporação que deixou saudades no coração dos paulistas.

    ResponderExcluir
  2. João Marcos Carvalho1 de julho de 2012 22:44

    Mais um dado: o modelo de uniforme que aparece na foto foi usado entre 1926 e 1952. Paralelamente ao azul-marinho, a Guarda Civil também usou farda bege, especialmente no verão. De 1958 em diante o bege passou a ser usado somente pelos guardas estagiários.

    ResponderExcluir
  3. Muitas Guardas Civis Municipais do estado de São Paulo tem como espelho a antiga Guarda Civil!!!Uma pena termos passado por um período tão nefasto da história do Brasil,q foram os "ANOS DE CHUMBO" da Ditadura Militar Brasileira,q vigorou de 1964 á 1985,do contrário acredito eu q ainda teríamos essa garbosa corporação empenhada no policiamento das cidades até hoje!!!

    SAUDAÇÕES AZUL MARINHO A TODOS

    Antônio Marcos Júnior

    Guarda Civil Municipal 3a Classe de São Caetano do Sul!!!

    ResponderExcluir
  4. Época inesquecível, pessoal de uma educação impar, inclusive se não me falhe a memória a Polícia Rodoviária Estadual naquele tempo pertencia a Guarda Civil de São Paulo.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho um distintivo que pertenceu ao meu bisavô João Guilherme, da guarda civil de são paulo(inspetor).

    ResponderExcluir
  6. Muito bom lembrar dos tempos em que existiram duas Corporações distintas.

    ResponderExcluir
  7. Pela que não temos mais a fanfarra da GUARDA CIVIL a qual tinha ate guaita escosesa, já procurei mas não encontro vídeo desta época.

    ResponderExcluir
  8. Ainda temos guardado nas coisas da família, o distintivo do quepe e a chapinha do patrimônio que era colocado no peito. Meu pai foi guarda civil e tinha muito orgulho disso. Ele trabalhou muitos anos na 2ª DRP, me perdoem se o nome não era assim. Era na Al. Irerê próximo a igreja de São Judas. o nome dele é Benedito Cezar 2ª classe. era motorista do carro ronda. nº 300 que era utilizado pelo Delegado Fleury, Toda vez queo Fleury saia em operação, pedia o Cezar para integrar a equipe. Se alguém lembrar dele, por favor, poste. aki Abraço a todos

    ResponderExcluir
  9. O primeiro Diretor da guarda civil de São Paulo foi o Dr ANTONIO PEREIRA LIMA - O PATRIOTA - 1926.

    ResponderExcluir
  10. realmente é com orgulho que vejo as postagens desta saudosa corporação a qual eu tive a feliz oportunidade de pertencer por cinco anos, guado com carinho ainda os emblemas que pertenceram ao meu saudoso pai que foi inspetor chefe de divisão (ALGUÉM DEVE LEMBRAR DO CHEFE SALOMÉ) tenho os emblemas do quepe de guardas e de inspetor tenho minha chapa numerica que é 13769, tenho os emplemas deinspetor, inspetor chefe, o apito para trânsito cravado em baixo relevo guarda ivil de são paulo,a farda de gala usada no meu casamento em 06 09 1966 o siturão com a fivela três discos de vinil da banda musical da gc e mais alguma coisinha, ................ sou guarda civil até morrer adorava a saudosa gc obrigado por ter esta oportunidade de falar sobre ela . hoje sou reformado como 1º sargento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocè é o filho do chefe Salomè do 11º Agrupamento?
      entre em contato no face - jornal a tribuna de monte alto -
      e-mail - jbeneditomartins2013@gmail.com ( ex-GC "Guaraná" da DPS chefiada pelo Chefe de Divisão Salomé em 1962 quando fui classificado em Santos.

      Excluir
    2. Legal. É mesmo o Salomézinho. Meu recruta na GC no 11º Agrupamento, em Santos (SP), quando a sede era na Av Ana Costa, 194, depois mudamos para a mesma avenida no nº 389. Trabalhei na DPS, cuja chefia foi do seu pai Salomé. Em 1970, a Ditadura, extinguiu a GC, e lá passamos a integrar o 32º BPM/I.

      Excluir
  11. SOU GUARDA CIVIL METROPOLITANO,PRIMEIRA CLASSE. QUERO PARABENIZAR O EXCELENTE ARTIGO DESTACANDO A GLORIOSA GUARDA CIVIL QUE FOI EXTINTA PELOS MILITARES NA DECADA DE 70,POR INVEJA OU POR CIUMES.

    ResponderExcluir
  12. Um dos grandes erros cometidos pelas autoridades, foi a extinção da Guarda Civil que prestava excelente serviços a população nas principais cidades do Estado de São Paulo; Era uma Corporação muito querida dos Paulistas.

    ResponderExcluir
  13. Meu avô pertenceu à essa Gloriosa Guarda Civil de 1927 à 1931. Gostaria de saber se alguem sabe me informar onde ficava a sede da Guarda. Obrigada
    Ana Valéria

    ResponderExcluir
  14. Eu tenho a foto de meu avô com essa farda!

    ResponderExcluir
  15. Gostaria de deixar consignado, um adendo, a Guarde Civil não foi extinta, como a Força Pública também não foi extinta, pois corporações gloriosas são formadas por pessoas, pessoas que buscam e alcançam essa glória, ambas foram fundidas e formando uma única Corporação, a Policia Militar do Estado de São Paulo, assim somos todos Civis, somos todos Força, somos todos um só Corpo, que continua a história de ambas as Corporações como deveria ser, representando seus valores e simbolizando que as glórias de ambas se deram pelos esforços e sacrifícios de todos, com cada um desempenhando seu papel, no maior sentimento de cumprimento do dever, e amor a Pátria; Assim as trajetórias traçadas pela atual Policia Militar, com o decorrer dos anos após a fusão das Corporações são sem dúvida nenhuma traçadas por ambas, pois como já disse antes, somos todos Civis, somos todos Força, Somos todos um, somos todos uma Legião de Idealistas... abraço a todos!!! 2º Sgt PM Maríngolo.. 40º BPM/M São Bernardo do Campo/SP - Orgulho de ser parte da história da Força de São Paulo!!!

    ResponderExcluir