terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Clemente Pereira, Batalhão Fernão Dias

Recebi algumas fotos belíssimas do Prof. Dr. Marcelo de Campos Pereira da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. Compartilho abaixo as fotografias e suas histórias.
Prezados senhores, envio fotos da participação de meu pai, Clemente Pereira, recém-formado pela Faculdade de Medicina de São Paulo, depois USP, na Revolução de 32. Toda minha família engajou-se, pela defesa dos ideais Contitucionalistas e de nosso Estado. Infelizmente, hoje, falta idealismo no país, um sentimento que poderia nos levar a pensar no coletivo em primeiro lugar. Lamentavelmente, prevalece entre nós um equivocado espírito de salve-se-quem-puder. Uma atitude que nos faz considerar fora de moda valores como patriotismo e nacionalismo, sempre necessários e sadios, desde que não confundidos com ufanismo, e essenciais para a união de qualquer país em torno de objetivos comuns, seja na guerra, seja na paz. Avaliem-se todos os movimentos de insurreição que fizeram história na história do Brasil, e nenhum supera o Movimento Constitucionalista de 1932, pelo conteúdo nacionalista e sentimento patriótico. Nenhum tem a elevação da Revolução Paulista contra a usurpação do poder discricionário do presidente Getúlio Vargas. Alguns podem até discordar, rebatendo que os assim denominados "heróis paulistas" foram inocentes úteis para a elite paulista, que não queria perder os privilégios ameaçados por Getúlio. Balela.
São Paulo é o escudo e a espada da segurança nacional!
Na foto abaixo, Clemente Pereira (a esq.) e Zeferino Vaz. Colegas de turma na FMUSP (1931) e grandes amigos. Recém-formados, serviram como médicos no Batalhão Fernão Dias em Cruzeiro. Anos mais tarde, o Prof. Zeferino fundaria a UNICAMP e a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Foi Diretor da FMVZ/USP de 1945 a 1947. Clemente Pereira foi um dos idealizadores do Instituto Biológico e lá seguiu carreira. Era Prof. Livre Docente de Parasitologia da FMVZ/USP .

Photobucket

Cidade de Cruzeiro. Clemente Pereira é o único de poncho. Recém-formado em Medicina, não teve a menor dúvida em trocar o microscópio pelo fuzil, no Batalhão Fernão Dias, para tentar devolver a liberdade à nossa terra.

Photobucket

Photobucket

5 comentários:

  1. Grande postagem! Um dos fundadores da Unicamp! Incrível!

    ResponderExcluir
  2. É de cauasr emoção ver e saber de fatos de verdadeiros heróis que dispuseram de tudo para defender uma causa e no entanto nenhuma deles postulou qualquer cargo de relevância e nem quiseram ser Presidente da República.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo de Campos Pereira5 de fevereiro de 2013 17:09

      Sim, é verdade...e Clemente Pereira era meu pai. Juntamente com Zeferino Vaz, foram considerados dois dos maiores parasitologistas brasileiros.

      Excluir
  3. Cel Arivaldo Sérgio Salgado6 de fevereiro de 2013 21:15

    Parabéns aos familiares e ao Ricardo pela publicação. Um país que não conhece a sua história estará sujeito ao fracasso.

    ResponderExcluir
  4. Marcelo de Campos Pereira13 de fevereiro de 2014 08:02

    Obrigado Coronel Salgado.

    ResponderExcluir