quinta-feira, 11 de abril de 2013

Capacete de aço com caveira pintada

Em homenagem aos amigos do COE, assunto do post abaixo, trago um sensacional capacete paulista da Revolução de 32 absolutamente intocado que apresenta na parte frontal uma caveira com ossos cruzados e nas suas laterais as inscrições M.P.  e  M.P.71

Em 2010 postei aqui um outro belíssimo capacete com uma caveira pintada e mencionei na época que o uso da caveira em insígnias militares é uma tradição que remonta ao Século XVIII com os Lanceiros Reais da Inglaterra em 1759 e do "Regimento de Hussardos da Morte" na França em 1792. Na 1ª Guerra Mundial o "Totenkopf" foi amplamente usado pelos alemães, especialmente pelas tropas prussianas. Foi no entanto, em 1933 com o uso da caveira pelos Freikorps alemães e pela infame SS de Adolf Hitler que o símbolo se tornou sinônimo de terror e atrocidades. Atualmente a caveira é usada como insígnia em regimentos militares espalhados pelo mundo.

Já as inscrições M.P. / M.P.71 podem significar o nome do batalhão (Milícia Paulista ? ) e seu número no batalhão. Pretendo ainda realizar uma pesquisa para ter certeza. Seja como for este é um capacete com uma "forte personalidade" e que certamente se destaca dos demais.

Mais uma vez edito um texto do blog com a sempre excelente colaboração do leitor João Marcos Carvalho:
Há possibilidade, também, de M.P. significar "Metralhadora Pesada". É assim que os combatentes que guarneciam a Hotchkiss (metralhadora fabricada na França por um industrial norte-americano) se referiam a arma que, na época, por ser a mais potente em operação nas trincheiras, era considera estrela da infantaria.Em entrevista ao jornal o Estado de São Paulo de 9 de julho de 1957, o veterano sargento Damião Mota Trigueiro diz: "A gente se orgulhava de ser da M.P. As guarnições das pesadas [metralhadora] era respeitada na tropa pelo poder de fogo que tinha"

 photo DSC09783_zps52b40c07.jpg

 photo DSC09785_zps12bd608b.jpg

 photo DSC09792_zpsd0e5fa4a.jpg

 photo DSC09791_zps66c2d24c.jpg

 photo DSC09787_zps07b022b1.jpg

 photo DSC09793_zps528d1ceb.jpg

 photo DSC09795_zps9dc900f7.jpg

Na aba interna podemos ler com alguma dificuldade Ten WALTER.

 photo DSC09797_zps7f4f1c70.jpg

4 comentários:

  1. Bom dia.

    Meu nome é Alexandre Barros, tambem sou neto de um ex-combatente, com muito orgulho. Quero restaurar o capacete do meu avô. Você conhece alguem que faça esse trabalho?

    ResponderExcluir
  2. João Marcos Carvalho12 de abril de 2013 10:12

    Há possibilidade, também, de M.P. significar "Metralhadora Pesada". É assim que os combatentes que guarneciam a Hotchkiss (metralhadora fabricada na França por um industrial norte-americano) se referiam a arma que, na época, por ser a mais potente em operação nas trincheiras, era considera estrela da infantaria.
    Em entrevista ao jornal o Estado de São Paulo de 9 de julho de 1957, o veterano sargento Damião Mota Trigueiro diz: "A gente se orgulhava de ser da M.P. As guarnições das pesadas [metralhadora] era respeitada na tropa pelo poder de fogo que tinha".

    ResponderExcluir
  3. Prezado Alexandre, eu não creio que você deva "restaurar" o capacete de seu avô, a menos que a ferrugem esteja corroendo o aço. Nesse caso dê alguns banhos com óleo lubrificante 3M. Um capacete alterado perde suas características históricas. Abraço,

    ResponderExcluir
  4. Melhor capacete de 32 q eu já vi. Loucuuuuuuuuura

    ResponderExcluir